Resenha | Overwatch.

Sobre o mais novo jogo da Blizzard, posso finalmente utilizar meu tempo (e meus dedos) para fazer outra coisa. Nada mais justo do que escrever minhas primeiras impressões do jogo!

Tentarei ser sucinto em cada um dos aspectos que julguei mais importante, mas preciso dizer primeiramente que o sucesso de um jogo da Blizzard é sempre meio que esperado. De qualquer forma, reconheço que a empresa sabe como elevar um jogo e realmente dá a atenção merecida, tanto o suporte online necessário quanto o marketing na vida real.


Personagens:
O design do personagens é espetacular! Simplesmente uma ideia melhor que a outra, além de extremamente carismáticos e com histórias interessantes. A variedade de escolhas que você tem (21 heróis atualmente) e a diversidade de suas habilidades faz o sistema pedra, papel e tesoura ser muito mais bem executado, fazendo suas escolhas serem vantajosas e desvantajosas a todo momento.


Jogabilidade:
O jogo que eu vejo que mais se assemelha em jogabilidade é Team Fortress 2, mas por alguns detalhes as partidas de Overwatch são mais equilibradas, dinâmicas e com finais muito acirrados. Suas habilidades de uso simples, tela de jogo personalizável, comandos intuitivos e mecânicas de partidas divertidas me atraíram muito nesse jogo, mas acho que o principal motivo do meu apreço é que, diferente do Team Fortress 2, eu me dei bem jogando.


Dublagem:
Como fã de dublagem, precisava tocar nesse ponto. Que trabalho épico! Frases perfeitamente adaptadas, vozes muito bem escolhidas e diálogos engraçadíssimos, destaque para toda a série de falas do Lúcio, o personagem brasileiro da parada. Reconheci as vozes de vários profissionais famosos, isso já seria o suficiente para parabenizar a Blizzard pelo bom serviço, mas ver outras vozes menos conhecidas executando um trabalho de primeira é algo que me faz querer abraçar toda a equipe envolvida.

Feedback das Partidas:
No fim de cada game é mostrado a todos a melhor jogada da partida, seguido de uma votação do melhor desempenho de um jogador, podendo ser mais mais mortes, mais dano, melhor cura, maior defesa, etc, juntamente com um indicador pra você mostrar o quanto você gostou daquela partida. Tudo isso mostra a interação que a Blizzard quer ter não só com seus consumidores mas que uns tenham com os outros. Não sei se isso é comum hoje em dia, mas eu gostei muito.


Preço:
Por fim, o polêmico preço. Sim, R$200,00 a versão comum e R$250,00 a versão Origins (com skins do jogo e brindes nos outros games da Blizzard) são valores um pouco altos, mas o que não é caro aqui no Brasil? Não vou argumentar muito nesse ponto, cada um sabe o quanto vale o seu próprio divertimento e com certeza quem decidir comprar por ter jogado o open beta não vai se arrepender.

A conclusão é que Overwatch é um ótimo jogo de tiro para quem gosta de diversidade de personagens e movimentos rápidos, além de trazer uma ótima história por atrás. O jogo tem gráficos de tirar o folego e uma pitada de anime ainda por cima! Joguei Overwatch no Xbox One e achei a movimentação, atalhos para conversas e menus muito bem feitos para padrões de console. 

Vindo de onde ele vem, já é esperado que haja expansões, eventos no jogo, animações, competições, bonecos, camisetas e o caralho a quatro, sendo que, dessa vez, eu estou bem feliz em participar desse hype.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSTAGRAM FEED

@luukassiqueira